Dia das mães de nossos filhos/Quadradinho de oito?

19/05/2013 23:23

 

 
Dia das mães de nossos filhos
Acho piegas e hipócritas os dias comemorativos das figuras familiares, datas nas quais as pessoas fazem intensas e profundas declarações de amor, que são, em si mesmas, evidências da excepcionalidade do reconhecimento que apregoam. Mas há também, quem use estas datas de forma mais prosaica, fazendo delas um dia a mais na prática de reconhecer o papel da mulher na vida das pessoas.
Assim, desejo às mulheres que o dia das mães tenha sido diferente apenas pelo recebimento de presentes, cartões e flores e que o reconhecimento do seu trabalho, o carinho e o respeito perdurem em todos os dias do ano!
 
Quadradinho de oito?
Tem sobrado gente que se traveste de defensor do Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA, alegando que manter a maioridade em 18 anos é “proteger menores”. Devem andar em carros confortáveis, atrás de vidros pretos, morar em condomínios com segurança, enfim, devem viver em ambientes assépticos. Não vêem as crianças que vivem nas ruas de esmolas, crianças que não recebem atenção dos pais, crianças envolvidas com drogas e prostituição, etc. O ECA é um fracasso para garantir os direitos fundamentais das crianças, mas serve para garantir o direito de criminosos continuar matando? O ECA é hoje o símbolo mais aviltante da alienação do Congresso Nacional e do Poder Judiciário da realidade da sociedade brasileira. Quer um exemplo?
Esta semana andaram me falando de um grupo de funk que vira o ventre ao céu para dançar “quadradinho de 8.” Tal “novidade” estaria sendo promovida pela televisão brasileira há algum tempo. Parece que o grupo é composto de meninas menores de idade. Vi cenas de atores reproduzindo a tal “dança”. A posição das pernas abertas e o ventre exposto deixa claro qual é o “8” que elas estão simulando mostrar. Basta se imaginar assistindo de madrugada a “obra de arte” em um clube de funk de uma favela, com farta distribuição de bebidas e entorpecentes, para ver que a interpretação acima está longe de ser absurda. O que eu me pergunto é o porquê de se tratando de um grupo de mulheres-menor-de-idade – segundo me contaram – não apareceu uma ONG ou órgão de governo para solicitar providências. Cadê o ECA?

 

Sérgio Figueiredo

Eng. Mestre em Desenvolvimento Ambiental Sustentável 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!